domingo, 10 de março de 2013

Sobre Líderes...



Não tenho mais estômago para a hipocrisia - como se bastasse esconder a podridão do mundo para torná-lo melhor.

Porque um dia fui apresentado a alguns poucos horrores perpetrados por mim, em nome de Deus e da Força, é que fui trazido para o atual e indispensável convívio com a minha realidade espiritual.

Sou positivista em se tratando de crer no Tempo como Artífice e Matéria Prima do meu Futuro.

Mas já não posso crer em movimentos, ideologias e religiões muitas vezes pautados no imediatismo - quando não nascidos do crime. São todos férteis em representantes da escória do mundo, calhordas de variadas estirpes. E não pense que descuido da autocrítica... Quase posso adivinhar o que andei aprontando por aí em épocas distantes, se apontadas em calendários - mas bastantes próximas pelo recurso da memória inconsciente...

Talvez por isso mesmo, por conhecer a sordidez desses demagogos, minha repugnância por eles se torne quase tangível.

Tenho piedade de mim na medida em que supero minhas dificuldades diárias mas sempre penso que posso e devo fazer mais. Quanto aos outros, bem... São os outros e cada um cuide de si como puder. Suas dores lhes pertencem, não a mim.

Fica a certeza de que pessoas como você fazem além do que julgo merecerem, enquanto eu faço o que acho que merecem. Se merecerem.
De fato, tenho estado sim, desencantado com este mundo falso, egoísta, insustentável e mentiroso. Me apavora ver "líderes" arrastando multidões de ignorantes com suas promessas macabras. Me causa muita náusea ouvir imitações de uivos dessa nova alcateia que exterminou os lobos - em sua pureza selvagem - para dominar e pilhar as riquezas da floresta na qual deveríamos todos conviver em paz.

Por fim, deixei de ser exigente com os outros e já não me boicoto como sempre fiz. 

Estou sozinho, preferindo arcar com o vazio dos dias e noites; mas em paz com as sombras da Alma. Minha Alma.

É meu rito de passagem tardio. Minha crise existencial morna e lenta, irritantemente lenta.

Não levo companhia nessa travessia, senão a Fé e a certeza de que há quem olhe por nós de Mais Alto - ainda que eu não entenda a Sua Magnitude.

Tarefa para depois da chuva: varrer as folhas soltas da memória.




Um comentário:

Edu Corrêa disse...

Profundo e muito verdadeiro, meu amigo. É a sua verdade, mas também é a verdade de muitos.