sábado, 2 de fevereiro de 2013

Promessas...


Perguntei a uma amiga se ela andara prometendo o sol a alguém.

Respondeu que não e isso me fez pensar...

Quanto prometi e não cumpri?

Quanto me prometeram?

Quantas promessas não passaram de mentiras com nomes bonitos? Minhas mentiras, grandes ou pequenas... E também as mentiras do mundo.

Por isso decido prometer, em vez do sol, a sombra do silêncio acolhedor nos dias de calor intenso.

Não será uma sombra suficientemente grande para abrigar todos os esquecidos e maltratados. Mas cada um que se aproximar de mim poderá levar consigo uma nesga de conforto para quem anda sem rumo no deserto calcinante das más escolhas...

Isso eu posso prometer. Mais, seria desejar a Vida sem provas e desafios...

Tarefa para quando a noite refrescar a brisa que vem de longe: seja luz que não cega, calor que não queima e sombra que não esconde.




Nenhum comentário: